Quando citamos uma pessoa negra, como imaginamos ela? Mentalize essa pessoa, vestindo uma roupa de trabalho, forme ela e a construa da maneira que você quer. Pegue essa imagem que você mentalizou e vamos analisar suas especificidades com mais profundidade.

Na imagem que você pensou, essa pessoa negra possue um jaleco ou um terno? Se a resposta for sim, imagino que seu pensamento já esteja sendo desconstruído, mas se a resposta for não, então precisamos trabalhar nisso.

Quando falamos de representatividade negra além de falar de negros ocupando altos cargos, também falamos dessas pessoas tendo poder de escolher uma profissão e tendo direito de sonhar. Então, para ser representatividade, precisa necessariamente ser um médico ou um empresário? Não.

Mentalize que, se você ocupa um cargo como professor, por exemplo, que infelizmente é desvalorizado, você é uma representatividade extremamente importante. Quero lhe fazer outra pergunta.

Quantos professores negros você já teve?

Agora vamos falar de faculdade. Quantos professores negros você já teve na sua faculdade? Você acha que foram muitos? Eu imagino que a sua resposta seja não, mas se for sim, tudo bem, é a sua vivência então é você que define se você teve ou não muitos professores negros.

Mas é importante ressaltar que, estatísticas ganham de vivências, e estatisticamente falando, negros são os povos que menos conseguem acender para um emprego como professor, médico ou empresário. Eu estou trabalhando com esses questionamentos por um motivo, eu quero que você, pessoa que está lendo, saía daqui com um questionamento, ou vários.

O papel da representatividade trabalha justamente com o fato de não vermos negros ascendendo.

Mas o que é ascenção?

Ascenção é ver negros ocupando os cargos que eles querem, e não os cargos que idealizamos como cargos altos e bons. Quando você era criança, você tinha muita representatividade? Você via seu povo na televisão? Ou melhor, para quem não é negro e está lendo isso, você via negros na televisão? Provavelmente sim, afinal, existiam negros na televisão, uns dois ou três, correto? Mas compare com a quantidade estrondosa de brancos na televisão, quem ganha?

Novos trainees do Itaú começam a trabalhar em janeiro de 2020. Foto: Reprodução

Quando falamos também de representatividade negra na televisão, também falamos de cargos, afinal, quantos jornalistas negros tem? Ou nas novelas, quantos atores tem? Quantos papéis importantes são ocupados por negros? A quantidade é mínima, já que negros não tem chances de ascender, e o motivo, é o mesmo motivo que tira os negros das escolas, que faz com que negros não consigam empregos direito, que tira todo dia diversas vidas de negros inocentes, o motivo disso tudo é o racismo.


“Mas tudo isso que você citou também acontece com pessoas brancas”

Certo, não irei negar que pode sim ocorrer com pessoas brancas, mas então, coloque isso em uma balança, conte quantos negros estiveram/estão na sua sala ou no seu trabalho, e agora compare com pessoas brancas, a quantidade de pessoas brancas se torna enorme, não é?


“Mas eles só precisam correr atrás” mas como você quer que pessoas negras corram atrás, quando não temos a oportunidade? E quando digo oportunidade, eu falo de oportunidade de estudos, oportunidade de emprego, tudo isso foi tirado de nós. 

Vemos negros ocupando cargos importantes como professores, médicos, advogados, empresários e os outros diversos cargos que você lê como importante? Atualmente sim. Mas isso não significa que não precisamos de mais pessoas negras ascendendo. Representatividade é algo que deve sim ter em excesso, e principalmente quando o povo que irá se sentir representado, sofre de problemas sociais extremamente sérios.


“Mas então eu só preciso ser negro e estar em um cargo alto pra ser uma representatividade?”

Não. Se você é negro e ocupa um cargo alto mas dissemina um preconceito, isso não é uma representatividade. Para você ser uma representatividade, você também precisa ajudar seu povo a conseguir ascender, e não apenas ascender e ignorar tudo que está em volta. Quando você se torna uma representatividade, as pessoas se espelham em você, sendo assim, é fundamental entender que um discurso pode ser algo informativo ou nocivo, já que ele provavelmente será reproduzido por outras pessoas.


Por fim, deixarei o último questionamento. Se você, pessoa não negra, acha fútil tudo isso que eu disse, então por que tudo isso que eu disse lhe incomoda, mesmo que um pouco?

Escrito por: Elias Daniel Camargo Pimenta.
Twitter: @gritodairene

Créditos da foto do artigo: Jup do Bairro durante apresentação na festa Sangra Muta.

Autor

Ator, Fotógrafo, Cantor, Escritor e Dançarino (e futuro professor de literatura).

Escreva um Comentário