Notícias

Ignorando ABEP, CRP’s, e MEC, UNIP mantém estágio online em Psicologia

Pinterest LinkedIn Tumblr

Texto atualizado dia 05/05/2020

No dia 16/03, a Universidade Paulista – UNIP emitiu um comunicado informado a suspensão de todas atividades presenciais em todo país, em decorrência da pandemia de Coronavírus, até dia 29 de março.

Mais tarde, com efeito da crescente disseminação do Coronavírus no Brasil e o decreto do governador João Doria (PSDB), prorrogando a quarentena no estado de SP até 10 de maio, a Universidade decidiu estender a suspensão até nova determinação.

Em consequência disso, alunos matriculados no curso de Psicologia, em diferentes semestres tiveram seus estágios práticos interrompidos ou

Os estágios práticos são previstos nas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia e “visam assegurar o contato do formando com situações, contextos e instituições…

Os alunos realizam durante o curso atividades práticas que os colocam em contato com os profissionais da Psicologia, contextos da profissão, Centros de Psicologia Aplicada e Hospitais Psiquiátricos, permitindo experiência prática, aliada a teoria, em sua formação.

Segundo informações recebidas de alunos da Universidade, a expectativa era uma interrupção ou adiamento das as atividades práticas até a possibilidade de realizá-las presencialmente, como feito em outras instituições públicas e privadas.

No entanto, no dia 20 de março os mesmos foram surpreendidos com uma “modalidade presencial digital”, contemplando inclusive as atividades práticas.

Grupos de representantes de classe da unidade “Chácara Santo Antônio”, ao questionar a coordenação do curso, se esta “modalidade” substituiria suas práticas, obtiveram a princípio, a resposta de que seriam realizadas em uma outra data, sem citar quando e como, deixando os alunos em completa escuridão até o fim de abril.

Como as atividades virtuais continuam toda semana, a sensação de que tudo estava sendo empurrado até que o semestre terminasse começou a aparecer. Segundo alunos,

Se o intuito do estágio é proporcionar o contato direto com os pacientes, não faz sentido continuar com este formado.”

Ainda segundo relatos, uma das atividades envolveu uma análise de um episódio da série “Dr. House”. Alunos do último período também, segundo informações, estão sendo orientados a conversar com pacientes via telefone”

Posicionamento da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (ABEP) e MEC

Em uma live realizada na página do Conselho Regional de Psicologia no dia 25 de Março, sobre Formação, Estágio e EAD, Irani de Oliveira, Diretora da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (ABEP) deixa claro que estas práticas podem contribuir para reflexão, porém não configuram situações de estágio.

Em nota oficial, a associação também deixa claro que:

“De acordo com a portaria nº 343 do MEC não é permitida durante a formação, qualquer prática, entendida aqui também a extensão, e/ou estágio, na modalidade a distância ou remota”

e ainda:

“Não é facultado ou reconhecido pelo CFP o atendimento online feito por estudantes de Psicologia.”

Abaixo-Assinado e Greve

Devido a falta de respostas e medo de perder a vivência dos estágios, um grupo de alunos do curso de Psicologia decidiu, a partir do dia (23/04) não assistir ou realizar qualquer atividade relacionada às matérias práticas. Em conjunto, criaram um abaixo-assinado pedindo a suspensão das aulas de estágio online.

Pedido à UNIP de suspensão de estágios obrigatórios devido a impossibilidade da substituição de atividades práticas por virtuais.

A Lei de Estágio nº 11.788/2008 estabelece que o estágio deve ser realizado nos campos de trabalho. As Portarias MEC 343 e 345/20 vetam a oferta de estágio e práticas profissionais na modalidade a distância. Sendo assim, as atividades de estágio não podem ser realizadas na modalidade a distância.

Portanto, os estágios devem ser suspensos neste momento, não podendo ser transformados em aulas teóricas, como vem ocorrendo na prática pela instituição, por meio de atividades que exigem do discente assistir a filmes e elaborar relatórios sobre os mesmos para posterior discussão on line.

Somente quando os estágios puderem ser realizados nos campos de trabalho os mesmos devem ser ofertados e, justamente por tal razão, vimos por meio deste instrumento solicitar que a UNIP suspenda qualquer aula que se vincule ao estágio, dada sua obrigatoriedade presencial, não cabendo nenhuma possibilidade de acompanhamento de forma virtual.

Dada a referida obrigatoriedade acima exposta, os alunos discordam da política de executar relatórios com base em filmes assistidos para tais disciplinas, política essa que só vem exaurindo-os sem nenhuma validade legal das horas empregadas em suas execuções.

Também cabe o pedido de que, em caso da suspensão das disciplinas de estágio, as mesmas deixem de ser cobradas nas mensalidades atuais, passando sim a ser cobrada na integralidade quando da oferta da prestação de serviços também de forma integral, ou seja, na modalidade presencial.

A Associação Brasileira de Ensino de Psicologia – ABEP recomenda o diálogo com a instituição como primeira medida, passando pela coordenação de curso, direção da unidade e, finalmente, gestores educacionais de forma amigável; e isso é o que temos buscado.

Caso não haja nenhuma resposta com solução razoável para tal questão, seguiremos as recomendações da ABEP e, com seu auxílio, registrar e trilhar caminhos coletivos.

Link para o comunicado na integra da ABEP http://www.abepsi.org.br/?p=3924

Ao assinar, concordo com os termos expostos neste instrumento.

Esse abaixo-assinado, se destina a todos os semestres de Psicologia que possuem Estágios Obrigatórios Presencial.

Resposta da Universidade

Conforme informado pelos representantes, na última segunda-feira, dia 04/05, foi realizada uma reunião online, solicitada pelos mesmos, com a coordenadoria do curso de Psicologia (e entre outros membros do conselho da Universidade) para tratar sobre os temas envolvendo os estágios.

Em resposta, as coordenadoras reconheceram que não há nada que valide os estágios da forma como atualmente estão sendo feitos, porém “vamos correr atrás de de validá-los”.

Os representantes, ao solicitar uma formalização da decisão por escrito, receberam como resposta “vocês não confiam em nossa palavra?” “se não confiam, troquem de faculdade“.

Ainda, serão reprovados os que não participarem das aulas de estágio online.


Confira neste link a nota sobre atividades acadêmicas nos cursos de graduação em Psicologia em tempos de pandemia, assinada pela ABEP, em conjunto com as demais entidades da Psicologia.

Psicologia se aprende com presença!

Acesse neste link a nota “Psicologia se aprende com presença!“, escrita em conjunto da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (ABEP), do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e da Federação Nacional dos Psicólogos (Fenapsi).

Escreva um Comentário